1 Hora de atividade física por semana pode prevenir a depressão

0
396
atividade física pode prevenir a depressão

A depressão é uma doença muito comum, ela atinge mais de 264 milhões de pessoas em todo o mundo. A depressão é diferente das mudanças de humor e respostas emocionais exageradas e de curta duração.

Quando duradoura e com muita intensidade, a depressão pode acabar se tornando uma condição de saúde muito grave. Ela pode fazer com que a pessoa afetada sofra muito e não consiga ir ao trabalho, a escola e por vezes nem se relacionar com a família. Na pior das hipóteses, a depressão pode levar até ao suicídio. Cerca de 800 mil pessoas no mundo morrem de suicídio todos os anos. O suicídio é a segunda principal causa de morte em jovens de 15 a 29 anos.

No entanto, um novo estudo que examinou dados de quase 34.000 pessoas descobriu que apenas uma hora de atividade física por semana, independentemente da intensidade, pode ajudar a prevenir a depressão.

 

Alguns fatos sobre depressão

  • A depressão é um distúrbio mental que afeta 264 milhões de pessoas mundialmente.
  • Pessoas de todas as idades podem sofrer de depressão.
  • As mulheres são mais afetadas pela depressão do que os homens.
  • A depressão mata, muitas pessoas em momentos de crise se suicidam.
  • Atualmente, existem tratamentos psicológicos e medicamentos muito eficazes para a depressão, desde a moderada, até a mais grave.

O ônus econômico da depressão foi estimado em 210,5 bilhões de dólares somente no ano de 2010 nos Estados Unidos de acordo com o CDC (centro de controle e prevenção de doenças). Levando esses números para níveis globais, a Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que mais de 300 milhões de pessoas convivem com esse problema.

Os tratamentos para a depressão em geral envolvem medicação, psicoterapia, TCC (terapia cognitivo comportamental) ou um misto dessas técnicas.

 

Estudos sobre depressão e atividade física

Recentemente, um grupo chamado Black Dog Institute, entidade sem fins lucrativos, com sede na Austrália , que oferece apoio as pessoas com transtornos emocionais, lançou uma campanha de 1 mês incentivando as pessoas a praticarem mais atividade física. Eles sugerem em seu site que a atividade física regular pode ajudar a prevenir e a tratar a depressão.

Entretanto, esse fato é apoiado por pesquisas conduzidas por cientistas do Instituto Black Dog, em colaboração com cientistas de outras instituições em todo o mundo, incluindo universidades e institutos de saúde do Reino Unido, Austrália e Noruega.

O estudo, que foi liderado pelo Professor Samuel Harvey, do Instituto Black Dog, ele analisou os dados coletados de 33.908 (trinta e três mil novecentos e oito), adultos noruegueses que foram monitorados pelos pesquisadores durante 11 anos.

O professor Harvey afirma: “Sabemos há algum tempo que o exercício físico tem um papel muito importante a desempenhar no tratamento dos sintomas da depressão, mas é a primeira vez que conseguimos quantificar o potencial preventivo da atividade física em perspectivas futuras e diferentes níveis de depressão”.

Ele ainda acrescenta que essas descobertas são empolgantes porque elas mostram que mesmo quantidades relativamente pequenas de exercício físico, nesse caso 1 hora por semana, podem oferecer um fator de proteção significativa contra a depressão.

Os resultados do estudo foram publicados no Jornal Americano de Psiquiatria, e você pode acessar os resultados da pesquisa clicando nesse link.

 

Não fazer exercícios aumenta o risco de depressão

Os pesquisadores também analisaram os dados coletados através do estudo HUNT, que é um dos maiores estudos populacionais feitos até o momento. A coleta de todos esses dados e o acompanhamento dos participantes do estudo HUNT ocorreram entre os anos de 1984 e 1997.

Em primeiro lugar, os participantes saudáveis selecionados foram recrutados e convidados a auto avaliar a quantidade de atividade física que estavam praticando no momento, incluindo a frequência e intensidade com que se exercitavam.

Três níveis diferentes de intensidade forma relatados: exercício de intensidade leve que não foi seguido por falta de ar ou suor excessivo, atividade física de intensidade moderada que produziu falta de ar e suor e exercício mais intenso seguido de exaustão física completa.

Posteriormente, os participantes receberam um questionário de auto avaliação de acordo com a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão, e foram convidados a relatar qualquer nível ou suspeita em desenvolvimento de sentimentos de depressão ou de ansiedade.

Por outro lado, foram incluídas diversas variáveis na pesquisa. Dentre elas, status socioeconômico dos participantes, uso de álcool e outras substâncias, índice de massa corporal (IMC) e doenças físicas. Essas variáveis foram ajustadas para garantir a consistência dos resultados.

 

Resultados da pesquisa

Os resultados verificaram que, aqueles que não praticavam exercícios físicos eram 44% mais propensos do que os outros participantes que se exercitavam por 1 a 2 horas por semana a desenvolver depressão.

O efeito de proteção do exercício físico também foi observado, independentemente de sua intensidade. “A maioria dos benefícios para a saúde mental do exercício é tida na primeira hora realizada de exercício a cada semana”, explica o Profesor Harvey.

“Com o estilo de vida sedentário se tornando muito comum em todo o mundo e as taxas de depressão crescendo, esses resultados são particularmente pertinentes. Pois destacam que mesmo pequenas mudanças no estilo de vida podem trazer benefícios significativos à saúde mental das pessoas”, acrescenta ele.

Da mesma forma, os pesquisadores não notaram nenhum benefício no caso da ansiedade. Pois não encontraram ligação entre a atividade física e participantes que desenvolveram ou não o problema de ansiedade.

 

1 hora de atividade física traz benefícios substanciais

Os autores concluíram que 12% dos casos de depressão poderiam ter sido evitados se os participantes fizessem pelo menos 1 hora de exercícios físicos por semana.

O professor Harvey afirma: “ainda estamos determinando exatamente por que o exercício tem esse efeito preventivo, mas, acreditamos que é devido ao impacto combinado dos vários benefícios físicos e sociais da atividade física”.

Ele também enfatiza a importância dos resultados deste estudo na formação de melhores políticas de saúde para o futuro. Ele enfatiza que pequenos ajustes no estilo de vida poderiam ser o suficiente para incluir uma quantidade considerável de exercícios durante uma hora por semana.

 Esses resultados destacam o grande potencial de integrar exercícios nos planos individuais de saúde mental e em campanhas mais amplas de saúde pública”.

Samuel Harvey

O professor Harvey conclui afirmando que “Se pudermos encontrar maneiras de aumentar a quantidade de atividade física da população, mesmo que de forma singela. É provável que isso traga benefícios substanciais à saúde física e mental das pessoas, de curto a longo prazo”.

Clique aqui e saiba quais são os benefícios que a natureza nos oferece.

 

3 FONTES

Depressão.
Exercício e prevenção da depressão: resultados do estudo de coorte HUNT.
Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here