Betabloqueadores: o que são e para que servem

0
810
Betabloqueadores: o que são e para que servem

Os betabloqueadores são medicamentos que atuam interrompendo temporariamente ou reduzindo as respostas naturais de “luta ou fuga” do corpo humano.

Por sua vez, eles reduzem o estresse em certas partes do corpo, como o coração e os vasos sanguíneos do cérebro. Além disso, eles reduzem a pressão arterial, protegem contra ataques cardíacos e podem melhorar a perspectiva de pessoas com insuficiência cardíaca.

Da mesma forma, eles são prescritos para várias condições diferentes, incluindo hipertensão, angina, alguns ritmos cardíacos anormais, ansiedade, enxaqueca, glaucoma, sintomas de tireoide hiperativa e outros.

Além disso, às vezes também são conhecidos como antagonistas beta, agentes bloqueadores beta-adrenérgicos ou antagonistas beta-adrenérgicos.

O farmacologista James Black ganhou o Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina por seu desenvolvimento em 1964 do primeiro medicamento bloqueador de receptor, o propranolol, que ainda está em uso nos dias atuais.

Clique aqui e saiba: PARACETAMOL: usos, efeitos colaterais e dosagem.

 

Fatos rápidos sobre betabloqueadores

  • Os betabloqueadores são prescritos em condições em que a frequência cardíaca precisa ser reduzida.
  • Os médicos geralmente recomendam betabloqueadores para pacientes com batimentos cardíacos irregulares, angina e hipertensão.
  • Os betabloqueadores também oferecem alívio para glaucoma, tireoide hiperativa e ansiedade.
  • Existem muitas marcas diferentes de bloqueadores beta.
  • Tomar betabloqueadores pode causar tontura, frio nas mãos, frio nos pés, ganho de peso e fadiga.

Clique aqui e saiba: Quais são os efeitos colaterais do Omeprazol?

 

O que faz um betabloqueador?

Os betabloqueadores bloqueiam os hormônios adrenalina e noradrenalina no sistema nervoso simpático. O sistema nervoso simpático faz parte do sistema nervoso autônomo. Ele ativa a resposta de “luta / fuga”.

Enquanto isso, a adrenalina e a noradrenalina preparam os músculos do corpo para o esforço. Esta é uma parte crucial da resposta ao perigo.

No entanto, a superexposição a esses hormônios pode ser prejudicial. Muita adrenalina pode causar taquicardia, hipertensão, suor excessivo, ansiedade e palpitações.

Da mesma forma, o bloqueio da liberação desses bloqueadores de hormônios diminui a demanda de oxigênio e reduz o estresse no coração.

Isso diminui a força das contrações dos músculos do coração e dos vasos sanguíneos do coração, do cérebro e do resto do corpo. Além disso, os betabloqueadores também obstruem a produção de angiotensina II, um hormônio produzido pelos rins.

Acima de tudo, reduzir a quantidade de angiotensina relaxa e dilata os vasos sanguíneos, facilitando o fluxo de sangue através dos vasos.

Clique aqui e descubra: Usos, riscos e benefícios da Aspirina.

 

Betabloqueadores: para que são usados

Os betabloqueadores são usados ​​para tratar os seguintes problemas:

  • angina ou dor no peito
  • insuficiência cardíaca
  • hipertensão ou pressão alta
  • fibrilação atrial ou batimento cardíaco irregular
  • infarto do miocárdio ou ataque cardíaco

Menos comumente, eles podem ser usados ​​para enxaquecas, glaucoma, tireoide hiperativa, tremores e ansiedade.

Glaucoma

A alta pressão dentro do globo ocular é reduzida com colírios betabloqueadores. O medicamento diminui a produção de fluido dentro do globo ocular.

Ansiedade

Os betabloqueadores bloqueiam os efeitos dos hormônios do estresse. Como resultado, eles também podem reduzir os sintomas físicos de ansiedade, como tremores e suor excessivo.

Uma pessoa com ansiedade persistente, entretanto, também pode precisar de tratamento adicional, com acompanhamento médico.

Tiroide hiperativa e tremores

Os betabloqueadores podem reduzir sintomas como tremores e diminuir a frequência cardíaca de pacientes com tireoide hiperativa.

Clique aqui e saiba mais sobre: Nimesulida.

 

Tipos e marcas de betabloqueadores

Os betabloqueadores podem ser seletivos ou não seletivos. Os betabloqueadores seletivos afetam principalmente o coração, enquanto isso, os não seletivos afetam outras partes do corpo.

Aqui estão alguns tipos e marcas comuns de betabloqueadores:

  • acebutolol (seletivo)
  • atenolol (seletivo)
  • metoprolol (seletivo)
  • esmolol (seletivo)
  • pindolol (não seletivo)
  • propranolol (não seletivo)
  • timolol (não seletivo)
  • sotalol (não seletivo) e outros

Clique aqui e saiba: Para que serve o medicamento (NAC) N-acetilcisteína?

 

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais provocados pelo uso de betabloqueadores podem se dividir em mais e menos comuns.

Os efeitos colaterais mais comuns dos betabloqueadores são:

  • pés e mãos frios
  • fadiga
  • náusea, fraqueza e tontura
  • boca, pele e olhos secos
  • batimento cardíaco lento
  • inchaço das mãos e pés
  • ganho de peso

Os efeitos colaterais menos comuns dos betabloqueadores são:

  • dificuldades e distúrbios para dormir
  • disfunção erétil
  • cólicas abdominais
  • constipação
  • diarreia
  • depressão
  • perda de memória ou confusão mental
  • dores nas costas ou nas articulações

Acima de tudo, cabe lembrar que pacientes que tomam betabloqueadores e sentem tonturas ou fadiga não devem dirigir.

Clique aqui e descubra: Qual é o melhor Viagra ou Cialis?

 

Betabloqueadores: precauções

As pessoas devem informar seu médico se tiverem histórico dos seguintes problemas de saúde antes de tomar betabloqueadores:

  • asma
  • broncoespasmo
  • doença arterial periférica grave, incluindo síndrome de Raynaud
  • ritmo cardíaco lento
  • insuficiência cardíaca não controlada

No entanto, os betabloqueadores podem ser prescritos para pessoas com insuficiência cardíaca estável.

Acima de tudo, pacientes com diabetes, especialmente hipoglicemia ou baixo nível de açúcar no sangue, devem monitorar o açúcar no sangue regularmente, pois os betabloqueadores podem obstruir os sinais de baixo nível de açúcar no sangue, como batimento cardíaco acelerado.

Além disso, alguns tipos de betabloqueadores podem ser usados ​​durante a gravidez se forem prescritos por um médico.

Clique aqui e descubra: O que é um EpiPen?

 

Interações medicamentosas

Os betabloqueadores, como todas as outras drogas, podem interagir com vários outros medicamentos.

No entanto, em 1995, descobriu-se que os betabloqueadores podiam interagir com uma variedade de medicamentos comuns.

Esses medicamentos incluem:

  • anti-hipertensivos
  • antianginosos
  • medicamentos para arritmia
  • anti-inflamatórios não esteroides (ácido acetilsalicílico, ibuprofeno, dipirona sódica e outros)
  • medicamentos para úlcera
  • anestésicos
  • varfarina

Portanto, diferentes tipos de betabloqueadores podem ter diferentes interações medicamentosas, e apenas um farmacêutico ou médico poderá fornecer uma lista abrangente, completa e atualizada das interações com bloqueadores beta.

Acima de tudo, sempre informe o médico sobre quaisquer outros medicamentos que você esteja tomando.

 

Interrupção do uso de betabloqueadores

Os pacientes não devem parar repentinamente de tomar betabloqueadores sem o devido aconselhamento médico e supervisão cuidadosa.

Acima de tudo, a interrupção repentina do tratamento com betabloqueadores pode piorar o estado do paciente, especialmente após um ataque cardíaco ou durante o tratamento da angina. Por isso, acima de tudo, é de suma importância consultar um médico antes de interromper o uso de um betabloqueador.

3 FONTES

https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/high-blood-pressure/in-depth/beta-blockers/art-20044522?pg=2
https://www.nobelprize.org/prizes/medicine/1988/press-release/
https://articles/173068

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here