COMO MELHORAR A FLORA INTESTINAL SEM GASTAR DINHEIRO

0
248
Como melhorar a Flora Intestinal

Quando falamos da flora intestinal, estamos falando diretamente da saúde do intestino e dos microrganismos que vivem no trato digestivo. Cuidar da saúde do intestino e manter o equilíbrio correto desses microrganismos é essencial para ter uma flora intestinal saudável.

Essas bactérias, leveduras e vírus – dos quais existem trilhões – também são chamadas de microbiota intestinal, microbioma intestinal ou flora intestinal.

Muitos micróbios são benéficos para a saúde humana e alguns são até essenciais. Outros podem ser prejudiciais, especialmente quando se multiplicam.

Neste artigo, listamos algumas maneiras cientificamente comprovadas de como melhorar a flora intestinal. E tudo isso através de atitudes simples e do consumo de alimentos que você provavelmente já tem em casa.

Continue lendo para saber como melhorar a flora intestinal.

 

Tome probióticos e coma alimentos fermentados

Quando se trata de melhorar a flora intestinal e aumentar as bactérias benéficas, ou probióticos no intestino, algumas pessoas optam por tomar suplementos probióticos.

Eles são vendidos sem prescrição médica em farmácias e lojas de alimentos naturais.

Algumas pesquisas sugerem que consumir probióticos pode beneficiar a flora intestinal e prevenir as inflamações no intestino e outros problemas intestinais.

No entanto, alimentos fermentados já são uma fonte natural de probióticos. E consumir esses alimentos regularmente pode melhorar a saúde intestinal.

Alguns probióticos naturais são:

  • kefir
  • Kimchi
  • kombuchá
  • Missô
  • Chucrute
  • Tempeh

Clique aqui e descubra: Quais são os alimentos que ajudam na digestão?

 

Coma fibra prebiótica

Os probióticos se alimentam de carboidratos não digeríveis chamados prebióticos. Esse processo estimula as bactérias benéficas a se multiplicarem no intestino.

Um artigo científico de 2017 sugeriu que os prebióticos podem ajudar os probióticos a se tornarem mais tolerantes a certas condições ambientais, incluindo mudanças de pH e temperatura.

Pessoas que desejam melhorar sua saúde intestinal podem incluir mais dos seguintes alimentos ricos em prebióticos em sua dieta:

  • Aspargos
  • Bananas
  • Chicória
  • Alho
  • Alcachofra de Jerusalém
  • Cebolas

Clique aqui e saiba: Quais são os tipos de pães mais saudáveis?

 

Diminua a quantidade de açúcares e adoçantes

Comer muito açúcar ou adoçantes artificiais pode causar disbiose intestinal, que é um desequilíbrio dos micróbios intestinais.

Os autores de um estudo de 2015 sugeriu que a dieta ocidental padrão, que é rica em açúcar e gordura, afeta negativamente a flora intestinal. E isso por sua vez, pode prejudicar o cérebro e o comportamento de uma pessoa.

Outro estudo relatou que o adoçante artificial aspartame aumenta o número de algumas cepas bacterianas que estão associadas a doenças metabólicas.

Cabe lembrar que, doença metabólica refere-se a um grupo de condições que aumentam o risco de uma pessoa ter diabetes e doenças cardíacas.

Esses estudos também indicam que o uso de adoçantes artificiais pode impactar negativamente os níveis da glicose no sangue devido aos seus efeitos na flora intestinal. Isso significa que adoçantes artificiais podem aumentar o açúcar no sangue, apesar de não serem “açúcar de verdade”.

 

Reduza o estresse

Gerenciar o estresse é importante para muitos aspectos da saúde, incluindo a saúde da flora intestinal.

Estudos sugerem que os estressores psicológicos podem perturbar os microrganismos no intestino, mesmo que o estresse seja de curta duração.

Em humanos, uma variedade de situações estressantes podem afetar negativamente a flora intestinal, incluindo:

  • estresse psicológico
  • estresse ambiental, como calor, frio ou ruído extremo
  • privação de sono
  • perturbação do ritmo circadiano

Algumas técnicas de gerenciamento de estresse incluem meditação, exercícios de respiração profunda e relaxamento muscular progressivo.

Além disso, praticar exercícios regularmente, dormir bem e seguir uma dieta saudável também podem reduzir os níveis de estresse e assim, melhorar a saúde da flora intestinal.

 

Evite tomar antibióticos desnecessariamente

Embora seja frequentemente inevitável tomar antibióticos para combater infecções bacterianas, o uso excessivo de antibióticos é um problema de saúde pública significativo que pode levar à resistência aos antibióticos.

Os antibióticos também podem ser prejudiciais para a flora intestinal e imunidade, com algumas pesquisas relatando que mesmo 6 meses após o uso de antibióticos, o intestino ainda precisa de várias espécies de bactérias benéficas que foram perdidas.

De acordo com o Centro para Controle e Prevenção de Doenças Americano (CDC), os médicos nos Estados Unidos prescrevem cerca de 30% dos antibióticos desnecessariamente.

Como resultado, o CDC recomenda que as pessoas sempre discutam sobre o uso de antibióticos com seu médico.

 

Pratique exercícios regularmente

Praticar exercícios regularmente contribui para a boa saúde do coração e para a perda ou manutenção do peso. Pesquisas sugerem que a prática de exercícios também pode melhorar a saúde intestinal, o que por sua vez, ajudar a controlar a obesidade.

Para confirmar esses fatos um estudo de 2014 descobriu que os atletas têm uma variedade maior de bactérias em sua flora intestinal do que as pessoas não atletas.

 

Durma o suficiente

Sono de boa qualidade pode melhorar o humor, a cognição e a saúde intestinal.

Um estudo de 2014 apontou que hábitos de sono irregulares e falta de noites bem dormidas podem ter resultados negativos para a flora intestinal, o que pode aumentar o risco de doenças inflamatórias.

Por isso, estabeleça hábitos de sono saudáveis tentando ​​ir para a cama e se levantar no mesmo horário todos os dias. Em geral, pessoas adultas devem dormir pelo menos 7 horas por noite.

 

Use produtos de limpeza menos agressivos

Assim como os antibióticos podem interferir na flora intestinal, desinfetantes muito fortes também podem, de acordo com os resultados de um estudo. A pesquisa de 2018 analisou a flora intestinal de mais de 700 bebês com idades entre 3 e 4 meses.

Os pesquisadores descobriram que aqueles que viviam em casas onde as pessoas usavam produtos de limpeza muito fortes pelo menos uma vez por semana tinham o dobro de probabilidade de ter níveis mais elevados de micróbios intestinais associados a diabetes tipo 2 e a obesidade.

O estudo ainda concluiu que aos 3 anos de idade, essas crianças tinham um índice de massa corporal (IMC) mais alto do que as crianças sem exposição a esses níveis elevados de desinfetantes.

 

Evite fumar

Fumar afeta a saúde intestinal, a saúde do coração e a dos pulmões. Além disso, também aumenta muito o risco de câncer.

Uma revisão de 2018 feita em pesquisas publicadas ao longo de um período de 16 anos descobriu que fumar altera a flora intestinal, aumentando os microrganismos potencialmente prejudiciais e diminuindo os níveis dos benéficos.

Esses efeitos podem aumentar o risco de doenças intestinais e sistêmicas, como doença inflamatória intestinal.

 

Faça refeições vegetarianas

Estudos confiáveis têm demonstrado uma diferença significativa entre os microbiomas intestinais de vegetarianos e os de pessoas que comem carne.

Uma dieta vegetariana pode melhorar a saúde intestinal devido aos altos níveis de fibra prebiótica que contém.

 

Resumo

Manter uma flora intestinal saudável contribui para uma melhor saúde geral e melhora a função imunológica.

Ao fazer mudanças adequadas no estilo de vida e na dieta, as pessoas podem alterar para melhor a diversidade e o número de micróbios em seus intestinos.

As mudanças positivas que uma pessoa pode fazer incluem tomar probióticos, diminuir o consumo de carne e açúcar ou seguir uma dieta vegetariana rica em fibras e evitar o uso desnecessário de antibióticos e desinfetantes pesados.

Outras mudanças simples no estilo de vida que uma pessoa pode fazer incluem, dormir o suficiente e praticar exercícios regularmente.

No entanto, a pessoa deve conversar com um médico antes de fazer qualquer mudança drástica em sua dieta. Isso porque, para algumas pessoas, como aquelas com síndrome do intestino irritável ou outras condições médicas, os probióticos e as dietas ricas em fibras ou vegetarianas podem não ser muito úteis.

 

13 FONTES

https://articles/325293
https://www.bmj.com/content/361/bmj.k2179
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3539293/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5622781/
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25982560/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4197030/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6143810/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6040098/
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25021423/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4029760/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6141245/
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29626219/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3957428/

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here