Porque a depressão deixa a pessoa cansada?

0
536
Mulher jovem com depressão e cansada

A depressão pode causar muito cansaço e tornar as tarefas mais simples, como sair da cama, muito difíceis de fazer.

Além disso, de acordo com um relatório de 2018, a fadiga ou cansaço excessivo, afeta mais de 90% das pessoas com transtorno depressivo elevado.

Neste artigo, você vai ler sobre a ligação entre depressão e o cansaço excessivo e aprender algumas dicas sobre como lidar com esse problema.

 

Porque a depressão deixa a pessoa cansada?

Pessoas com depressão têm maior probabilidade de se sentirem mais cansadas, e a fadiga crônica pode piorar a depressão. Essa relação bidirecional cria um ciclo que pode ser difícil de quebrar.

As causas potenciais do cansaço excessivo por depressão incluem:

  • problemas do sono
  • alimentação
  • estresse
  • medicamentos, incluindo alguns para o tratamento da depressão

Discutimos cada causa em potencial com mais detalhes logo abaixo.

Problemas do sono

O sono é essencial para regenerar o corpo e repor as energias. Por outro lado, a falta de sono por si só pode não causar depressão, mas pode aumentar muito o risco de adquirir a doença ou piorar os sintomas já existentes.

Da mesma forma, uma pessoa com depressão pode estar dormindo o suficiente, e ainda assim não acordar se sentindo revigorada. Pessoas com depressão geralmente têm uma qualidade de sono inferior do que aquelas que não sofrem com esse problema.

Pesquisas sugerem que muitas pessoas com depressão e outras condições de saúde mental, como por exemplo, o transtorno bipolar, sofrem tanto de insônia quanto de hipersonia.

Insônia significa dificuldade em adormecer ou em permanecer dormindo por muito tempo. Já a hipersonia se refere à sonolência excessiva.

Entretanto, a apneia obstrutiva do sono é outro distúrbio que está relacionado com a depressão. Um estudo de 2015 descobriu que a depressão é comum em pessoas com apneia do sono.

Além disso, o estudo descobriu que o tratamento da apneia do sono melhorou os sintomas de depressão nos participantes do estudo.

Alimentação

Há muito tempo os pesquisadores especulam sobre a influência da alimentação na saúde mental de uma pessoa. No entanto, uma meta análise de 2018 analisou vários estudos que investigavam a ligação entre a dieta alimentar e o risco de depressão.

O relatório encontrou algumas evidências de que dietas alimentares que incluem mais alimentos anti-inflamatórios podem reduzir o risco de depressão em algumas pessoas.

Da mesma forma, uma segunda meta análise também associou padrões dietéticos específicos a um risco aumentado de depressão. Em particular, os pesquisadores descobriram que as dietas de estilo ocidental contendo carnes vermelhas e processadas, grãos refinados, doces, laticínios com alto teor de gordura e outros alimentos não saudáveis ​​podem aumentar o risco de sintomas de depressão em algumas pessoas.

Estresse

O estresse pode afetar os níveis de serotonina e dopamina de uma pessoa. Essas duas substâncias são neurotransmissores no cérebro que desempenham um papel essencial na regulação do humor e da energia.

Pesquisas indicam que eventos estressantes da vida podem aumentar significativamente o risco de uma pessoa desenvolver transtorno depressivo elevado.

Esses eventos estressantes da vida podem incluir o fim de um relacionamento ou amizade próxima, a morte de um ente querido, perda financeira significativa, mudança de emprego e eventos relacionados à saúde, como um diagnóstico de câncer, por exemplo.

Além disso, a mesma pesquisa sugere que o estresse também pode causar inflamação no corpo, o que pode levar à hipersonia e cansaço excessivo. Também pode fazer com que a pessoa se afaste das atividades sociais e tenha dificuldade em pensar com clareza.

Medicamentos

Os antidepressivos agem sobre os neurotransmissores do cérebro para ajudá-los a regular o humor de uma pessoa com mais eficácia. Alguns antidepressivos, entretanto, podem causar fadiga significativa e constante.

 

Como gerenciar o cansaço excessivo na depressão

Logo abaixo estão algumas sugestões de como gerenciar o problema do cansaço excessivo associado a depressão:

Falar com um médico

A melhor maneira de lidar com a depressão e o cansaço excessivo é procurar atendimento médico. Embora outros métodos de enfrentamento possam ajudar, o diagnóstico e o tratamento adequados geralmente são essenciais.

O médico também pode ajudar a determinar se a fadiga se deve a outra condição médica de saúde ou se é um efeito colateral de um medicamento antidepressivo.

Se a medicação for a fonte de fadiga, mudar para outro antidepressivo pode ajudar. Além disso, o médico também pode recomendar psicoterapia.

Exercício Físico

Praticar exercício físico e ser mais ativo pode reduzir a fadiga, promovendo uma melhor qualidade do sono. Uma meta análise descobriu que fazer mais de 20 minutos de exercícios de intensidade baixa a moderada pode aumentar a energia e reduzir a fadiga.

Atualmente, as diretrizes de atividade física de alguns países recomendam 150 minutos de exercício de intensidade moderada por semana para adultos. Uma pessoa pode dividir isso em, por exemplo, 15 sessões de 10 minutos por semana ou 30 minutos em 5 dias da semana.

Melhorar a qualidade do sono

Praticar uma boa higiene do sono pode ajudar a pessoa a controlar o cansaço excessivo na depressão. Além disso, uma boa higiene do sono significa implementar certas práticas para promover um sono de qualidade.

Hábitos úteis incluem:

  • evitar cafeína e álcool perto da hora de dormir
  • limitar cochilos diurnos
  • abster-se de comer refeições pesadas muito perto da hora de dormir
  • ir para a cama e acordar na mesma hora todos os dias
  • manter dispositivos eletrônicos fora do quarto
  • se exercitar regularmente

Ter uma alimentação balanceada

A baixa motivação e a falta de apetite podem tornar as refeições saudáveis tarefas muito difíceis. No entanto, uma alta ingestão de alimentos processados ​​e alimentos com adição de gordura e açúcar podem piorar os sintomas, de acordo com especialistas.

Comer alimentos que as pesquisas associaram à regulação do humor e ao aumento dos níveis de energia pode ajudar a reduzir a fadiga.

Alimentos que podem ajudar incluem:

  • frutas
  • vegetais
  • chá verde
  • oleaginosas
  • peixe
  • grãos

Alimentos que podem piorar incluem:

  • alimentos processados
  • bebidas gaseificadas
  • alimentos e bebidas com muito açúcar
  • carne vermelha
  • alimentos com gorduras saturadas
  • carnes processadas
  • carboidratos processados

Alimentos frescos com alto teor de antioxidantes podem não apenas melhorar a saúde física de uma pessoa, mas também reduzir o risco de depressão.

Leitura complementar:

 

Pontos importantes

  • Pessoas que sentem fadiga excessiva devido à depressão devem conversar com um médico.
  • A fadiga não tratada pode levar a várias complicações, incluindo afastamento de compromissos sociais e de trabalho. Além disso, o afastamento de compromissos sociais, pode piorar ainda mais o quadro depressivo.
  • Acima de tudo, os médicos podem ajudar a tratar a depressão e a fadiga. Eles também poderão ajudar uma pessoa a fazer mudanças no estilo de vida para reduzir os seus sintomas depressivos.

 

5 FONTES

https://medlineplus.gov/fatigue.html
https://www.nimh.nih.gov/health/topics/depression/index.shtml
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6455094/
https://link.springer.com/article/10.1007/s40263-018-0490-z
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25596022/

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here