Coceira na vagina: possíveis causas

0
457
Coceira na vagina

A coceira na vagina é algo desconfortável e muito comum entre as mulheres. De acordo com especialistas, existem vários fatores que podem causar coceira na vagina, e a maioria deles irá exigir tratamento médico.

Este texto irá fornecer uma visão geral dos fatores mais comuns que podem causar a coceira vaginal.

 

Coceira na vagina causada por infecções

A maioria das mulheres teve ou irá ter uma infecção causada por fungos durante a vida, e provavelmente ela vai causar muita coceira na vagina. Embora geralmente não sejam graves, os sintomas causados por uma infecção vaginal por fungos, além da coceira na vagina, trazem consigo outros sinais, como por exemplo, irritação, queimação e outros.

Normalmente, há um equilíbrio de bactérias, fungos e leveduras saudáveis vivendo na vagina da mulher de forma extremamente saudável. Porém, quando um fungo ou uma levedura começa a crescer de forma excessiva na vagina, uma infecção acontece.

Inclusive, uma infecção fúngica muito conhecida pelas mulheres é a candidíase, causada pelo fungo Candida albicans. É importante ressaltar que a coceira na vagina causada pela cândida ou por outro fator, se não tratada da maneira correta pode trazer infecções recorrentes.

Os sintomas do crescimento excessivo de fungos e ou leveduras na vagina podem incluir:

  • Queimação
  • Coceira na vagina
  • Corrimento branco e inodoro
  • Irritação

O que é a Candida albicans?

A Candida albicans faz parte da microflora natural da vagina ou dos microrganismos que já vivem no nosso corpo. Ela pode ser encontrada no trato gastrointestinal, na boca e também na própria vagina como mencionamos no início.

Na maioria das vezes, esse microrganismo não causa problemas, mas, por outro lado, é possível que exista o crescimento excessivo desses fungos como mencionamos anteriormente e isso poderá causar infecções.

Candida albicans é a causa mais comum de coceira na vagina e infecções causadas por fungos nas mulheres. O nome da espécie, albicans, vem da palavra latina para “branco”. Esse nome foi dado devido a aparência do corrimento causado pela candidíase.

As infecções por fungos em geral acontecem quando algum fator perturba o equilíbrio das bactérias na vagina.

As causas mais comuns para esse desequilíbrio são:

  • Alterações hormonais
  • Gravidez
  • Anticoncepcional
  • Uso de antibióticos
  • Diabetes
  • Imunidade baixa
  • Imunidade baixa causada por algum problema de saúde que deixou o corpo debilitado
  • Qualquer fator que mude o tipo e quantidade de bactérias da vaginal, como, duchas vaginais excessivas, lubrificantes e outros

Algumas condições de saúde também podem aumentar muito a probabilidade da mulher ter uma infecção fúngica. O sistema imunológico enfraquecido por exemplo, é um fator que aumenta muito esse risco.

Clique aqui para ler mais conteúdos sobre Saúde da Mulher.

 

Coceira na vagina causada por vaginite

Vaginite é uma infecção bacteriana comum, também conhecida como vaginose bacteriana, ela afeta muito as mulheres em idade fértil. A vaginite ocorre quando as bactérias normais e saudáveis ​​da vagina se desequilibram.

Muitas mulheres que sofrem de vaginite não apresentam sintomas. No entanto, em alguns casos pode ocorrer um corrimento vaginal aquoso com um odor desagradável, além de ardor e coceira na vagina.

A causa da vaginite nem sempre é conhecida. Mas, em muitos casos, ela é causada por um dos seguintes fatores:

  • Ducha vaginal frequente, o que pode perturbar as bactérias naturais da vagina
  • Uso excessivo de produtos anti-sépticos ou antibacterianos
  • Ter um novo parceiro sexual ou vários parceiros sexuais
  • Usar produtos muito perfumados na área vaginal
  • Restos de sabão em pó e outros produtos na roupa íntima
  • Cigarro

Muitas mulheres podem ter vaginose bacteriana e não sabem disso, pelo simples motivo de ela não causar coceira na vagina, bem como nenhum outro sintoma. No entanto, pode ser potencialmente perigoso para uma mulher grávida e seu feto sofrer desse problema.

É importante lembrar que, mulheres grávidas devem discutir qualquer tipo de prurido, coceira na vagina, queimação ou secreção vaginal com seu médico e fazer o teste para vaginose bacteriana quando solicitado.

O teste para vaginite, consiste na coleta de uma amostra do fluido vaginal e envio do mesmo para um laboratório de análise. Se o teste for positivo para uma mulher grávida, provavelmente ela será submetida a um tratamento com antibióticos.

Como a vaginite é resultado de um desequilíbrio de bactérias, substituir as bactérias “boas” do corpo pode ser útil em algumas mulheres.

Uma revisão de pesquisa do ano de 2014 constatou que certos probióticos, quando tomados por via oral, podem ajudar a prevenir e até tratar a vaginose bacteriana.

 

Doenças sexualmente transmissíveis (DST)

As DST, também conhecidas como infecções sexualmente transmissíveis (IST), podem ocorrer como resultado do contato sexual com uma pessoa infectada.

Os órgãos de saúde oficiais afirmam que a DST está em um nível sem precedentes no mundo todo, com milhões de casos relatados a cada ano. As pessoas podem reduzir muito o risco de contrair uma DST tomando medidas preventivas como:

  • Usar preservativo corretamente
  • Ter poucos parceiros sexuais
  • Exigir do par um teste para DST e outros, caso pratique sexo sem camisinha
  • Se vacinar contra o HPV (papilomavírus humano), a vacina está disponível no SUS e em clínicas ou laboratórios particulares

Muitas doenças sexualmente transmissíveis (DST), podem causar coceira na vagina, entre outros sintomas. É importante tratar as DST, pois algumas delas podem causar problemas a longo prazo, como doença inflamatória pélvica, infertilidade e complicações na gravidez. Inclusive, a mulher grávida pode transmitir certas doenças sexualmente transmissíveis ao bebê durante o parto.

 

Irritação ou alergia

A coceira na vagina é muito comum e pode ser causada por uma simples irritação ou alergia. O sabão em pó ou outros produtos usados para lavagem das roupas íntimas, o absorvente tradicional, o absorvente internos ou os desodorantes íntimos femininos podem ser os desencadeadores da coceira na vagina.

Cabe lembrar que, a coceira na vagina geralmente desaparece depois que a mulher para de usar esse tipo de produto.

Para evitar esse problema, a mulher pode optar por usar produtos rotulados como “sem perfume” ou “hipoalergênico”. O excesso de duchas vaginais também não é recomendado, pois pode causar coceira na vagina, irritação vaginal, vaginose bacteriana (vaginite) e infecções fúngicas.

Algumas mulheres podem ter reação alérgica ao preservativo de látex, o que pode resultar em coceira na vagina ou irritação vaginal. Mulheres que suspeitem ser alérgicas aos preservativos de látex devem conversar com um médico e optar pelo uso de preservativos sem látex.

A coceira na vagina pode ser muito incômoda, porém, na maioria dos casos ela pode ser tratada com uma simples consulta médica.

E para ajudar a evitar qualquer tipo de coceira na vagina e outros possíveis problemas de saúde a longo prazo, é melhor deixar de lado qualquer tipo de vergonha ou constrangimento e procurar um médico, afim de determinar exatamente o que está causando a coceira na vagina, e depois disso começar um tratamento adequado.

3 FONTES

Efeitos dos probióticos na recorrência da vaginose bacteriana: uma revisão.
Como você pode prevenir doenças sexualmente transmissíveis.
Herpes genital – Ficha técnica (detalhada).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here